“Guia Prático” para Brasileiros no BALATON SOUND – Parte 1

Enquanto no Brasil pulamos as fogueiras de Festas Juninas, na Hungria o que está pipocando no momento é o BALATON SOUND e, diferente do meu trocadilho, o assunto é muito interessante!

Tem ingresso? Comprou por pressão dos amigos? Não sabe o que levar? Não tem ideia se é bom? Só vai porque todo mundo vai? Quer vender? OMG, calma, vamos explicar tudo!

Como as dúvidas sobre esse tema são constantes e muito complexas resolvemos fazer um post diferente, um DUO de opinião. Meu namorado e eu, duas pessoas de extrema confiança,  construímos essa análise com base nas nossas experiências e preferências, além de termos pontos de vista bem diferentes há ainda as questões que afetam mais as mulheres que os homens, ou vice-versa, que gostaríamos de compartilhar.

Dá tempo ainda? Já preparou a mochila? Aguente uns 15 minutos aí que vamos ver no que isso vai dar!

~~~ Lembramos que as informações aqui tratadas foram baseadas na edição de 2014, podendo sofrer alterações nos próximos anos.~~~~

Falar do BALATON SOUND é como descrever waffle com sorvete e nutella, é difícil encontrar alguma coisa que possa ser melhorada, já parece perfeito desde sempre! Seja ele para fãs de música eletrônica, simpatizantes e até para aqueles que querem passar pela experiência de se unir a uma multidão e desfrutar das diversas oportunidades de entretenimento, falar sobre um dos mais tradicionais Festivais de música eletrônica da Europa é desafiador, apesar de que fica fácil fazer brilhar os olhos de quem lê as palavras “Budapest, Balaton Lake, summer and Forint”. Quem procura algo que valha cada centavo de investimento e que vai proporcionar momentos inesquecíveis definitivamente deve embarcar nessa aventura chamada BALATON SOUND.

Já que somos fãs tanto do país quanto do estilo de música do festival vamos tentar passar o máximo de informação possível para que você tire suas próprias conclusões, colocando um pouco de pessoalidade, mas sem exageros. É isso que fazemos a todos que perguntam sobre o assunto. Antes de explicar cada coisa, vamos apelar para o visual do negócio, confere o After Movie compacto da edição de 2014 e depois continue a leitura:

Curtiu? Vamos tentar traduzir em palavras essas sensações:

  1. Balaton Sound, o que é?

BALATON SOUND é um festival de música eletrônica que segue na contramão das tendências do mercado (e isso não é negativo), enquanto Tomorrowland e Ultra Festival buscam “ramificar” os festivais pelo mundo, os organizadores do BALATON estabeleceram residência às margens do Balaton Lake, precisamente em uma região/cidade/distrito chamada Zamardi, criando assim uma identidade diretamente ligada ao lago.

Zamardi

Zamardi no mundo

Assim como o Rock in Rio no Brasil o BALATON SOUND parece crescer e atrair mais pessoas a cada ano, aumentando a popularidade do país, marcando presença nas agendas mundiais e dando aquela forte contribuição ao turismo local.

Dica rápida que salva vidas: se a sua namorada é ciumenta não diga para ela pesquisar sobre o festival no Google imagens. ;]

Como chegar a Zamardi

Como chegar a Zamardi

  1. Música eletrônica… and hip hop.

Com mais de 90% da line up composta por DJs ainda existe uma parcela do festival formada por hip hop, pop e rock nacional. Pelo fato da maioria dos artistas desses gêneros serem muito famosos, podemos dizer que se você curte esses estilos vale investir um tempo conferindo as atrações da edição e analisar com calma se existe a possibilidade de dar um pulo no evento pelo menos por um dia, um show é o suficiente para se arrepender de não ter comprado o passaporte para todos os dias.

Se o seu negócio é eletrônico, prepare-se para curtir os DJs mais famosos do mundo! Olha só o que vem em 2015:

Line Up 2015

Line Up 2015

Já chorou? Se emocionou? E quanto será que custa essa POUCA gente importante?

  1. Valor:

O ticket Full Pass custa em média 150 euros com variações para mais ou para menos de acordo com a data de início das vendas até seu encerramento, esse passe garante entrada nos 5 dias de festival, incluindo o dia 0 – ideal para quem vai acampar, se essa for a sua forma de hospedagem basta comprar um Adicional Camping que custa em torno de 15 a 17 euros, esse é o mínimo investimento necessário para poder curtir o festival com alojamento. Existem opções mais confortáveis e, consequentemente, mais caras, tudo está bem explicado no site!

Com essas exceções, os demais gastos são na moeda local (UHUL!). O primeiro passo é ter certa quantidade em dinheiro, depois ir a um guichê e depositar o quanto quiser em uma espécie de cartão de débito usado nas compras em todas as áreas do festival (não é permitida outra forma de pagamento), o cartão pode ser recarregado quantas vezes for necessário e no caso de crédito ou “sobra” no final do uso você pode E DEVE resgatar, afinal, é seu.

  1. Clima:

O clima infelizmente varia um pouco nessa época do ano e existe a possibilidade de dias nublados e horas de chuva. Para esse ano (2015) está previsto sol nos três primeiros dias e parcialmente nublado no fim de semana, o que aumenta ainda mais a qualidade do festival. No ano passado a chuva praticamente não deu trégua, molhando barracas, roupas, deixando os tênis em estados lastimáveis e os shows bem divertidos no barro! Definitivamente não é uma boa opção para quem tem frescurinhas de cabelo, de sujeira, de sentar no chão molhado, a proposta é desapegar e aproveitar!

Se joga!

Aproveita a lama!

Aproveita a lama!

As temperaturas podem cair durante a noite, nada assustador, mas vale levar uma roupinha mais pesada para dormir. Capa de chuva também entra na lista dos itens básicos, assim como boné/chapéu para proteger do sol. Não recomendamos usar o tênis novo que você comprou justamente para exibir nas fotos, além da grande chance de áreas com barro, 80% do tempo você passa em pé e não vai ser bom sentir incômodos na hora de pular no meio da multidão; escolha aquele velho companheiro que já aguentou de tudo e não tenha problemas. (Acho que não precisamos gastar caracteres falando sobre sapatos de salto né?)

Ainda no tópico de clima, vamos lembrar de colocar bermuda, sunga, biquíni, canga e tudo aquilo que um final de semana na praia merece! Se der sol (e torcemos por isso) tá feita a festa! Pode levar bola, frescobol, boia, caixa de isopor, etc etc etc. Só não esquece o protetor solar!

Roupas leves

Roupas leves

  1. Segurança:

Se tratando de um festival que tem como vizinhos quase 30 mil pessoas, segurança de pertences se torna algo relativo. Não dá pra dizer se é algo comum ou não, mas para garantir uma segurança extra existem lockers privados. Nós guardamos todos os pertences na barraca mesmo e quando saíamos do camping colocávamos cadeado, não era o sistema mais seguro, mas pelo menos dava um pouco mais de trabalho para o ladrão.

O espaço é bem policiado tanto por seguranças quanto pela guarda local, é um ambiente onde é muito difícil não se sentir seguro. Também não é por isso que você precisa sair com todos os seus equipamentos eletrônicos e carteira no bolso, as chances de perder tudo nos pulos do dia ultrapassa (e muito) o número de casos de roubos. Quanto menos coisas levar para os palcos melhor!

Raramente se vê uma briga ou qualquer intervenção policial, provavelmente as movimentações serão devido à intervenções médicas…


Mais dicas no “Guia Prático” para Brasileiros no BALATON SOUND – Parte 2

Anúncios

Uma resposta para ““Guia Prático” para Brasileiros no BALATON SOUND – Parte 1

  1. Pingback: “Guia Prático” para Brasileiros no BALATON SOUND – Parte 2 | Brasileiros na Hungria·

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s